Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish
A operadora logística dinamarquesa DSV definiu os termos de aquisição da suíça Panalpina, em um documento conhecido como Offer Prospectus, ou Prospecto de Oferta. Nele, a DSV confirma que pretende obter controle total da Panalpina e que depois de concluída a aquisição terá início um processo de integração com o objetivo de atingir toda a sinergia e o potencial possíveis com a combinação das duas companhias. No início no mês de abril a Panalpina aceitou a proposta de quase US$ 4,6 bilhões da DSV. À época, o CEO da DSV, Jens Bjorn Andersen, afirmou que a força da Panalpina nos transportes aéreo e marítimo foi um fator decisivo para a proposta. “A DSV pretende unir forças com a gestão existente, funcionários e todas as partes interessadas relevantes para criar valor e para a empresa combinada estar melhor posicionada para fornecer uma proposta de valor aprimorada aos clientes”, diz o Prospecto…
Cinco índios guarani mbya participaram nesta quarta-feira (24) da assembleia da Rumo, em Curitiba. Eles compraram ações da companhia para ter direito de participar da reunião e protestar contra os atrasos e pendências nas compensações a danos causados pela duplicação da ferrovia Itirapina-Cubatão, em São Paulo, que corta o território indígena. Segundo os índios, das 101 atividades de mitigação previstas no licenciamento da ferrovia, 72 estão paralisadas. Fonte: Valor
A Frente Nacional pela Volta das Ferrovias (Ferrofrente) solicitou ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Roberto Barroso que reconsidere a decisão sobre o pedido de liminar que suspenderia o leilão do tramo central da Ferrovia Norte-Sul, ocorrido na sexta-feira (29). Em nota, a entidade reitera os argumentos apresentados na petição inicial, requerendo ao menos a concessão de tutela de urgência para que se proíbam “os atos de homologação do resultado do certame e eventual adjudicação”. Segundo a Ferrofrente, nenhum grupo econômico se interessou pelo leilão da Norte-Sul além da Rumo e VLI Logística. A suspeita é de que isso aconteceu porque o trecho licitado não possui saída para o mar sem que haja a burocracia e o impasse de exercer o direito de passagem nos ramais complementares, que são controlados pelas duas empresas. Fonte: A Tribuna
A companhia Rumo anunciou um lucro líquido de R$ 137.17 milhões no 4º trimestre de 2018, resultado bem superior ao prejuízo líquido de R$ 57.35 milhões apurado no mesmo período do ano anterior. Já a receita líquida da companhia aumentou 3,42% de um ano para o outro, passando de R$ 1.59 bilhão no 4º trimestre de 2017 para R$ 1.65 bilhão no 4º trimestre de 2018. Os ativos totais da empresa Rumo (BOV:RAIL3) totalizaram R$ 27.13 bilhões em 31 de dezembro de 2018, soma 3,45% maior que o saldo de R$ 26.23 bilhões registrado no encerramento de 2017. Por sua vez, o patrimônio líquido da companhia apresentou aumento de 3,43%, ao compararmos todos os valores contábeis que os seus sócios possuíam no último dia de 2018 (R$ 8.29 bilhões) com o último dia de 2017 (R$ 8.02 bilhões). Todos os resultados apresentados nesta página resultam da consolidação das demonstrações financeiras…
A TCP Log – subsidiária de serviços logísticos da TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, realizou a operação de dois grandes transformadores com 120 toneladas cada um. Os equipamentos têm como destino uma usina na cidade de Cartagena (Colômbia) e saíram de Jaraguá do Sul (SC), cidade que fica a aproximadamente a 156 quilômetros de distância de Paranaguá. Alexandre Rubio, diretor Comercial da TCP, explica que a operação, denominada de carga projeto, exigiu um estudo logístico detalhado para que as peças fossem transferidas. “Trata-se de uma operação complexa pelo tamanho e peso dos produtos, o que exigiu um preparo anterior”, exemplificando que o trajeto entre as duas cidades, em condições normais, é de cerca de três horas, mas devido ao tamanho das peças, consumiu três dias. “Os caminhões que transportaram as peças contavam com 50 rodas cada, para dar sustentação aos objetos”, informa. Em Paranaguá, a…
A União das Entidades de Presidente Prudente (Uepp) lançou nesta quinta-feira (27) um “desafio” à concessionária Rumo, empresa responsável pela malha ferroviária do Oeste Paulista, a enviar relatórios de visitas com assinaturas de predispostos clientes com as propostas apresentadas e suas respostas, que subsidiaram ausência de demanda, já comprovada nos autos de um processo judicial, bem como a divulgar uma alternativa de ligação da região à propensa reinserção do trecho entre Bauru, Marília, Tupã e Panorama, na Alta Paulista. O “desafio” da Uepp foi lançado na véspera de uma reunião que a Rumo realizará nesta sexta-feira (28), às 9h, no Hotel Aruá, no Centro de Presidente Prudente, com empresários para discutir o transporte ferroviário de cargas na região. Segundo a Uepp, no comunicado que foi anunciado no “período curto” de uma semana de antecedência, a Rumo informou que o objetivo é apresentar o mapeamento da demanda por transporte ferroviário no…
O Grupo TPC anunciou a conquista, neste mês de dezembro, do certificado de Operador Econômico Autorizado (OEA), concedido pela Receita Federal do Brasil, para o Centro Logístico e Industrial Aduaneiro (Clia) TPC, localizado no município de Simões Filho (BA). Com a novidade, o empreendimento do operador logístico tornou-se o único terminal alfandegado do estado da Bahia a contar com a certificação OEA. O Programa OEA foi lançado pela Receita Federal do Brasil em 2014 e a certificação é concedida para operadores da cadeia logística internacional que atendem a padrões específicos de segurança, conformidade e confiabilidade estabelecidos pelo programa, colocando o Brasil na categoria de país exportador seguro. O programa está implementado em 77 países e 47 mil empresas no mundo são certificadas. ‘Qualidade sempre foi um pilar essencial nos nossos serviços. Por isso, a certificação OEA nos orgulha muito, porque mostra que estamos no caminho certo, atuando em conformidade no…
A Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vai solicitar urgência ao Supremo Tribunal Federal (STF) na análise da decisão do ministro Luiz Fux de manter as multas pelo descumprimento da tabela de preços mínimos de fretes. Segundo o chefe da assessoria jurídica da entidade, Rudy Ferraz, a decisão do ministro trouxe ainda mais insegurança jurídica para o agronegócio. “Não podemos passar o recesso de fim de ano com essa incerteza sobre um tema tão importante para o setor”. Ontem à noite, o ministro Fux recuou da sua própria decisão da semana passada, que suspendia a cobrança de multa por quem não respeitasse a tabela, após recurso da Advocacia-Geral da União (AGU). No pedido de reconsideração da AGU, a ministra Grace Mendonça alegou que o novo governo deverá retomar a negociação com os setores envolvidos no tabelamento. Ferraz diz que pedirá ao plenário do STF que avalie com…
A MRS Logística, com sede em Juiz de Fora (Zona da Mata), fechou o período entre janeiro e setembro com lucro líquido de R$ 377,1 milhões, aumento de 2,9% em relação ao resultado dos mesmos meses de 2017 (R$ 366,6 milhões). Somente no terceiro trimestre, a concessionária registrou receita líquida recorde para este período, reflexo do aumento do volume de cargas transportadas, de reajustes tarifários aplicados ao longo do ano e de um mix favorável de produtos transportados. A receita líquida do terceiro trimestre, recorde para o período, foi de R$ 1,001 bilhão contra R$ 896,5 milhões em igual intervalo de 2017. Na comparação do faturamento dos noves primeiros meses deste ano (R$ 2,733 bilhões) com o do mesmo intervalo do exercício passado (R$ 2,588 bilhões), a alta foi de 5,6%. O volume de toneladas úteis transportado pela MRS entre janeiro e setembro somou 128 milhões de toneladas, com leve…
Pagina 1 de 4