Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish
Desde a campanha eleitoral, temos nos deparado com as manifestações do núcleo econômico do governo atual sobre a necessidade de se realizar privatizações de diversas empresas estatais, dentre elas as Companhias Docas. De fato, o que temos presenciado ao longo dos anos, no Brasil, foi a prática usual do fisiologismo político-partidário no preenchimento dos cargos diretivos nas estatais brasileiras, sem o menor pudor! Creio que os reflexos de tal prática se confirmam com a constatação da ineficiência do Estado em determinados setores, notadamente no de Infraestrutura. No caso específico do setor portuário, deparamos ainda com a alteração do marco regulatório em 2013, que representou um significativo retrocesso para o setor portuário. Tal alteração, proposta pelo Poder Executivo, não foi sequer debatida apropriadamente com os setores envolvidos, além de ter tido uma tramitação extremamente célere. Voltamos a ter uma atividade altamente centralizada e regulamentada. Para uma atividade altamente dinâmica e importante,…
Administrados pela Companhia Docas do Rio de Janeiro, os Portos do Rio de Janeiro, Itaguaí e Niterói obtiveram um crescimento expressivo na movimentação de cargas em 2018, fechando o ano com o recorde de 63,8 milhões de toneladas. O número representa um aumento de 7% em relação a 2017, quando foram movimentadas 59,6 milhões de toneladas. O acréscimo, em toneladas, de 22,6% da carga conteinerizada e de 5,5% dos granéis sólidos influenciou a evolução do total movimentado pela companhia. O trigo (aumento de 16%), o sal (114%), o gesso (56%), "roll-on/roll-of" (19%) e a carga conteinerizada (22,6%) foram os produtos com os acréscimos de maior destaque. O Porto do Rio de Janeiro registrou um crescimento expressivo de 12,1% na movimentação total, que atingiu a marca de 7.127.318 toneladas. Na carga conteinerizada, o destaque foi o aumento de 73% na importação de longo curso da Arrendatária Libra. No caso da Arrendatária…
A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) está analisando as propostas apresentadas para elaboração do projeto básico das obras do novo acesso rodoviário ao Porto de Santos. A obra vai ligar a Rodovia Anchieta à via perimetral, na altura da região do bairro Saboó. A concorrência pública foi lançada pela Codesp no dia 14 de dezembro do ano passado. E as propostas foram apresentadas em 21 de janeiro. O projeto básico precisa atender ao disposto no projeto funcional elaborado pela Codesp. As obras fazem parte de um conjunto de melhorias na entrada de Santos, executadas em uma parceria entre o Município, o Estado e o Governo Federal. A Diretoria de Engenharia da Companhia Docas avalia qual proposta melhor atende aos requisitos do edital de licitação. Entre as exigências, estão a apresentação de um cronograma físico-financeiro de elaboração dos trabalhos em 18 meses, sendo seis meses para serviços de…
Nesta quarta-feira (6), o Porto Central e o Porto de Pecém assinaram Protocolo de Intenções para cooperação mútua que visa impulsionar as relações entre os dois portos e criar novas oportunidades de negócios. A solenidade de assinatura do Protocolo de Intenções foi realizada no Plenário da Federação das Indústrias do Espírito Santo, em Vitória (ES). O Porto Central será um novo complexo industrial portuário de águas profundas localizado no sul Espírito Santo, no município de Presidente Kennedy. É um empreendimento 100% privado desenvolvido em conjunto pela TPK Logística S.A e o Porto de Roterdã e será um importante hub logístico para o mercado da Região Sudeste e Centro-Oeste do país. O porto se encontra em fase de desenvolvimento. Segundo os empreendedores, a tomada de investimento acontecerá em breve. O Porto de Pecém é considerado o principal empreendimento logístico do Ceará, com grande potencial de se transformar em um centro logístico…
A Codesp concluiu os serviços de recuperação da pavimentação da estrada de acesso à Ilha Barnabé, no Porto de Santos. A via é o único acesso rodoviário às instalações dos terminais de granel líquido localizados na ilha e também ao terminal de contêineres da DP World. A estrada faz a conexão com a rodovia Cônego Domenico Rangoni, na altura do km 251, para acesso ao sistema Anchieta/Imigrantes, recebendo fluxo médio diário de 1.500 caminhões, sendo 1.200 de contêineres e os demais de caminhões-tanque que operam com líquidos a granel. O diretor de Engenharia da Codesp, Hilário Gurjão, destaca que o objetivo é a melhoria das condições das vias internas do Porto de Santos. “Além desse acesso, acabamos de entregar um novo sistema de sinalização semafórica inteligente para o tráfego rodoferroviário na região do Valongo e retomamos os serviços de implantação da Avenida Perimetral no trecho entre o Canal 4 e…
O Porto de Santos, no litoral de São Paulo, celebrou o aniversário de 127 anos, neste sábado (2), com a expectativa de aumentar em 2,5% a movimentação de cargas em 2019. A projeção acompanha o otimismo do complexo marítimo após os resultados obtidos ao longo do ano de 2018. Ao todo, são esperadas que 136,4 milhões de toneladas em cargas passem pelo cais. No último ano, segundo projeção divulgada pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), o porto teve 133,1 milhões de toneladas em movimentação - número também 2,5% maior que 2017. Entre os produtos mais movimentados nos últimos 12 meses estão a soja a granel (20,58 milhões de toneladas), acompanhado do açúcar (15,06 milhões), milho (12,66 milhões), celulose (4,65 milhões) e sucos cítricos (2,38 milhões). Estes dois últimos tiverem recorde histórico anual. Além disso, o complexo portuário também foi recordista em desembarques: 38,82 milhões de toneladas, 6,9%…
A privatização do Porto de Santos não está nos planos do Governo Federal, disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em evento na Capital na terça-feira (29). Ele negou, também, a possibilidade de se delegar o complexo marítimo para o Estado de São Paulo, muito embora o governador paulista, João Doria (PSDB), venha reiterando, em discursos a diferentes públicos, seu apoio à concessão do Porto à iniciativa privada. “Primeiro, o Porto é nosso”, disse o ministro, ao ser questionado sobre as frequentes declarações de João Doria. Perguntado, então, se o governo poderia delegar ao estado o Porto, ele respondeu: “Não, não vai delegar, já falei com ele isso”. Freitas disse, ainda, que a eventual privatização do Porto de Santos “não está em discussão agora”. Freitas participou, na terça-feira, de evento promovido pelo Credit Suisse, onde discursou, pela manhã, o governador paulista. Na ocasião, falou que a venda do…
No dia 1º de janeiro de 2019, o Porto Itapoá (SC) colocou em funcionamento a plataforma tecnológica SAP S/4HANA, da SPRO IT Solutions, com o objetivo de proporcionar mais agilidade e segurança, além da realização de análises preditivas para as operações do terminal de contêineres catarinense. A plataforma atende as áreas de Operações, Manutenção, Suprimentos, Financeira, Contábil, Fiscal, Planejamento e Recursos Humanos do porto, e a empresa de tecnologia realizou a implantação e também a integração com o principal sistema especialista de Itapoá, utilizado para o controle de movimentações de carga e descarga. A adoção do SAP S/4HANA pelo Porto Itapoá é pioneira em portos brasileiros e faz parte dos investimentos do terminal marítimo em inovação, alicerçando seus planos de crescimento. Itapoá tem como estratégia se tornar referência em logística marinha na América do Sul e ampliar seus serviços para outros países no continente. A previsão é expandir a capacidade…
A dragagem de manutenção em toda a extensão do canal de navegação do Porto de Santos está garantida até o próximo dia 7 de agosto. Serviços nos berços e nos acessos aos pontos de atracação também estão mantidos. Isto foi possível após um aditamento ao contrato firmado com o consórcio formado pelas empresas Van Oord Operações Marítimas e Boskalis do Brasil. Esta frente de dragagem, licitada pelo então Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (MTPAC), hoje, Ministério da Infraestrutura, prevê a ampliação das profundidades do canal de navegação, dos berços de atracação e dos acessos a eles no cais santista. Pelo contrato, a profundidade do canal vai de 15 metros, em média, para 15,4 e 15,7 metros nos próximos três anos. Alguns trechos da via marítima também serão alargados. E os locais de atracação (berços) terão uma nova fundura, variando de 7,6 a 15,7 metros. Fonte: A Tribuna
Pagina 1 de 14