Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish
Terça, 08 Outubro 2019 09:54

Keppel assina com a Sete Brasil contratos para assumir plataformas

Por Sac Armazenagem

Quase cinco anos depois de os pagamentos terem sido interrompidos pela Sete Brasil à Keppel Offshore & Marine para a construção de seis plataformas semissubmersíveis, o estaleiro de Cingapura ficará com quatro das plataformas incompletas e as duas negociadas com a Magni Partners.

As subsidiárias Keppel FELS e Fernvale firmaram um acordo com a Sete Brasil sobre os contratos de Engenharia, Aquisição e Construção (Contratos EPC) para as seis plataformas.

O acordo prevê que a Keppel Fernvale adquira quatro plataformas, todas longe da conclusão. As quatro plataformas compreendem os contratos de EPC para a Bracuhy e a Portogalo, que estão 40% e 21% concluídas respectivamente, e a Mangaratiba e Botinas, com menos de 10% de construção.

Os quatro contratos foram considerados rescindidos de forma amigável, sem multas ou reembolsos.

As duas plataformas mais próximas da conclusão, a Urca e a Frade, pertencerão à Magni Partners, uma empresa controlada pelo presidente da Borr Drilling, Tor Olav Troim. A Urca e a Frade estão 92% e 70% concluídas. A Fernvale está em discussões com a Magni Partners sobre termos para concluir as plataformas.

A Urca e a Frade seriam arrendadas à Petrobras por 10 anos por US$ 299 mil/dia, com acordos semelhantes para as novas construções Arpoador e Guarapari das quais a Magni Partners seria a proprietária.

Para as duas plataformas, uma soma total de quase US$ 260 milhões será reconhecida como parte da dívida incluída no Plano de Reorganização Judicial da Sete Brasil e paga à Fernvale concomitantemente a outros credores.

O contrato está sujeito a condições que incluem a venda bem-sucedida da Urca e da Frade para a Magni Partners.

A Keppel recebeu US $ 1,3 bilhão da Sete Brasil antes dos pagamentos serem interrompidos em novembro de 2014.

A Sete Brasil também possuía sete navios-sonda encomendados à Sembcorp Marine. Os pagamentos pararam da mesma forma em novembro de 2014. Quatro dos sete navios-sonda estavam entre 90% e 50% completos.

Os pedidos de plataformas constituíam uma parte muito substancial das carteiras de pedidos da Keppel e da Sembmarine e valiam US $ 4,9 bilhões e US $ 4,8 bilhões, respectivamente.

Fonte: Portos e Navios