Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish
A primeira torre de controle do Porto de Santos, no litoral de São Paulo, já está pronta para operar. O equipamento construído na Ilha Barnabé faz parte do Sistema de Gerenciamento de Informações do Tráfego de Embarcações (VTMIS), que permite ter em tempo real informações de todas as embarcações que estão no canal de navegação do Porto. A torre da Ilha Barnabé é a primeira de quatro que estão previstas no projeto. As torres de monitoramento restantes serão instaladas ao redor e no interior do complexo marítimo: uma na costa de Guarujá, outra na Ponta de Itaipu (Praia Grande) e a terceira nos arredores do terminal da Dow Química (na entrada do canal, em Guarujá). Cada torre terá um radar, uma câmera de alta definição e um transponder AIS, que identifica automaticamente navios que contam com esta tecnologia, para a coleta de dados das embarcações. Assim, a central conseguirá acompanhar…
A Monsanto decidiu há três anos iniciar um processo de transformação logística, com foco no desenvolvimento de três pilares: processos, pessoas e sistemas. Com esta reformulação, a área de logística passou a participar do planejamento estratégico e das tomadas de decisões. Foi nesta época que a companhia revisitou suas operações, identificou gargalos, estabeleceu um plano de ação e promoveu alterações nos processos logísticos, envolvendo a movimentação de sementes e produtos químicos. Em relação a sistemas, a implementação do TMS (Transportation Management System) representou uma grande inovação para otimizar os processos ao longo da cadeia, pois a ferramenta possui módulos de compra, planejamento, execução, pagamento e inteligência, que permite direcionar as estratégias operacionais com o menor custo e níveis de serviço. “O Brasil foi o primeiro país a utilizar o TMS dentro da Monsanto, nossa meta é reforçar a integração entre toda a cadeia, dar visibilidade e fomentar a automação dos…
O saldo recorde de US$ 67 bilhões da balança comercial brasileira em 2017 foi possível principalmente pelo aumento nas exportações de produtos básicos, sem acabamento ou tecnologia envolvida, como minério de ferro, petróleo e produtos agrícolas. Segundo números do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), as vendas de produtos básicos ao exterior saltaram de US$ 79,15 bilhões em 2016 para US$ 101 bilhões em 2017, alta de 28,7%. EXPORTAÇÕES DO BRASIL EM 2017 As exportações de produtos manufaturados (industrializados, que possuem maior valor agregado e que geram mais empregos na fabricação) também aumentaram, mas bem menos: de US$ 73,92 bilhões para US$ 80,25 bilhões, alta de 9,4%. Como consequência, a participação dos produtos básicos no total das exportações brasileiras atingiu 46,4%, o maior percentual dos últimos três anos. Já a dos manufaturados foi em 2017 a menor dos últimos três anos: 36,9% do total. Segundo o secretário de…
A polêmica em torno do Decreto 9.048/2017, que revisou a regulamentação da Lei dos Portos, de 2013, não deve impedir a liberação de mais 51 pedidos de autorizações para instalações privadas, com investimento previsto de R$ 4,3 bilhões, na Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Empreendimentos - Desse total, 37 empreendimentos estão associados a terminais de uso privado (TUPs), que somam R$ 3,4 bilhões. Outros 12 terminais privados são de transbordo de carga (ETCs), orçados em R$ 500 milhões. O restante envolve duas instalações portuárias de turismo (IPTs), com R$ 328 milhões programados. Decreto - O diretor-geral da Antaq, Adalberto Tokarski, afirmou que o ritmo acelerado de análise dos pedidos se deve à aplicação do decreto, de maio do ano passado, que é contestado desde a publicação. As suspeitas sobre o atendimento indevido de pleitos do setor resultaram em novo pedido de inquérito contra o presidente Michel Temer. As investigações…
Nas instalações do Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ), três navios-tanque, do tipo Panamax, permanecem com as obras paralisadas e com destino incerto. A construção das embarcações foi contratada pela Transpetro, a subsidiária de logística da Petrobras, ao Eisa Petro Um, sociedade de propósito específico ligada ao Synergy Shipyard, do empresário German Efromovich. Os navios fazem parte do Programa de Expansão e Modernização da Frota (Promef), lançado pela Transpetro na gestão do ex-presidente da empresa, Sérgio Machado, que se tornou delator na Operação Lava Jato. Os navios parados no Mauá, onde o Eisa Petro Um opera, fazem parte de um lote de quatro Panamax encomendados pela Transpetro à empresa, dos quais somente um foi entregue. O investimento nas quatro embarcações é estimado em R$ 1 bilhão, dos quais cerca de R$ 800 milhões foram financiados pelo Fundo da Marinha Mercante (FMM), tendo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)…
Nas instalações do Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ), três navios-tanque, do tipo Panamax, permanecem com as obras paralisadas e com destino incerto. A construção das embarcações foi contratada pela Transpetro, a subsidiária de logística da Petrobras, ao Eisa Petro Um, sociedade de propósito específico ligada ao Synergy Shipyard, do empresário German Efromovich. Os navios fazem parte do Programa de Expansão e Modernização da Frota (Promef), lançado pela Transpetro na gestão do ex-presidente da empresa, Sérgio Machado, que se tornou delator na Operação Lava Jato. Os navios parados no Mauá, onde o Eisa Petro Um opera, fazem parte de um lote de quatro Panamax encomendados pela Transpetro à empresa, dos quais somente um foi entregue. O investimento nas quatro embarcações é estimado em R$ 1 bilhão, dos quais cerca de R$ 800 milhões foram financiados pelo Fundo da Marinha Mercante (FMM), tendo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)…
O Terminal de Toras do Porto de Pelotas (TPP) encerrou o ano com dados que estimulam a ampliação do fomento à hidrovia gaúcha. Ao longo dos 12 meses de operações, a movimentação atingiu um total de 662 mil toneladas de madeira movimentadas. Durante este período, 339 barcaças de toras de madeira saíram do Porto de Pelotas com destino à fábrica da CMPC Celulose Riograndense, em Guaíba (RS).    Hoje, cerca de 95% da celulose produzida em Guaíba são movimentadas e exportadas pela hidrovia. “O projeto do TPP criou uma forma inteligente de aproveitar o frete de retorno das barcaças vindas do Porto de Rio Grande”, destaca o gerente da Sagres em Pelotas, Bruno Carvalho.   A matéria-prima da celulose é proveniente de diversas bases florestais, entre elas 14 municípios localizados na região sul do Rio grande do Sul.  Com está geografia, a iniciativa também se confirma como uma importante alternativa…
A diretoria executiva do Porto Público de Porto Velho divulgou a projeção dos resultados obtidos da empresa pública no ano de 2017. Até o fechamento do relatório de movimentação de cargas, realizado em dezembro, a previsão da 2,4 milhões de toneladas exportada/importada, mantendo a projeção de operar 10% a mais que no ano anterior. Para o presidente da Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (Soph), Leudo Buriti, o aumento é reflexo do crescimento do agronegócio na região. “A safra de 2017 bateu todos os recordes da colheita. Nosso papel é dar a estrutura necessária para o pequeno, médio e grande produtor escoar seu produto por aqui, uma vez que além de espaço para movimentar graneis sólidos, há capacidade para operar cargas diversas, derivados de petróleo e dispormos do único recinto alfandegado da Amazônia ocidental”, frisou. Ele complementa ainda sobre os investimentos realizados. “No início deste mês foram…
A diretoria executiva do Porto Público de Porto Velho divulgou a projeção dos resultados obtidos da empresa pública no ano de 2017. Até o fechamento do relatório de movimentação de cargas, realizado em dezembro, a previsão da 2,4 milhões de toneladas exportada/importada, mantendo a projeção de operar 10% a mais que no ano anterior. Para o presidente da Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (Soph), Leudo Buriti, o aumento é reflexo do crescimento do agronegócio na região. “A safra de 2017 bateu todos os recordes da colheita. Nosso papel é dar a estrutura necessária para o pequeno, médio e grande produtor escoar seu produto por aqui, uma vez que além de espaço para movimentar graneis sólidos, há capacidade para operar cargas diversas, derivados de petróleo e dispormos do único recinto alfandegado da Amazônia ocidental”, frisou. Ele complementa ainda sobre os investimentos realizados. “No início deste mês foram…
Pagina 7 de 210