Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish
A ANTT, responsável pela regulação das atividades de prestação de serviços de transporte terrestre, fica vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte)/Clique para ampliar CBTU e Trensurb migram para o Ministério do Desenvolvimento Regional, que absorve os ministérios das Cidades e da Integração Nacional Por meio do Decreto nº 9.660, que dispõe sobre a vinculação das entidades da administração pública federal indireta, as agências ligadas ao setor de transportes passam a integrar o organograma do Ministério da Infraestrutura. sil; VII – ao Ministério da Economia: a) Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias S.A. – ABGF; b) Banco Central do Brasil; c) Banco da Amazônia S.A. – Basa; d) Banco do Brasil S.A.; e) Banco do Nordeste do Brasil S.A. – BNB; f) Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES; g) Caixa Econômica Federal – CEF; h) Casa da Moeda do Brasil…
O processo de retomada da autonomia dos portos públicos brasileiros, viabilizado no último dia 27, nas horas finais do mandato do presidente Michel Temer, terá o apoio do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, que começou oficialmente na tarde desta terça-feira (1º), com sua posse, em Brasília. A afirmação é do engenheiro Diogo Piloni e Silva, indicado para o cargo de secretário nacional de Portos, do futuro Ministério da Infraestrutura de Bolsonaro. Em entrevista exclusiva a A Tribuna, ele destacou a importância da medida, principalmente dos critérios estabelecidos para que os complexos marítimos voltem a coordenar os arrendamentos de suas áreas. “A maior autonomia administrativa dos portos é um valor defendido pela equipe do presidente Jair Bolsonaro. Estávamos cientes da portaria e a apoiamos. Mas é importante deixar claro que os portos têm de mostrar estar preparados para essa autonomia”, afirmou Piloni. O engenheiro atuava como diretor da área de…
A União das Entidades de Presidente Prudente (Uepp) lançou nesta quinta-feira (27) um “desafio” à concessionária Rumo, empresa responsável pela malha ferroviária do Oeste Paulista, a enviar relatórios de visitas com assinaturas de predispostos clientes com as propostas apresentadas e suas respostas, que subsidiaram ausência de demanda, já comprovada nos autos de um processo judicial, bem como a divulgar uma alternativa de ligação da região à propensa reinserção do trecho entre Bauru, Marília, Tupã e Panorama, na Alta Paulista. O “desafio” da Uepp foi lançado na véspera de uma reunião que a Rumo realizará nesta sexta-feira (28), às 9h, no Hotel Aruá, no Centro de Presidente Prudente, com empresários para discutir o transporte ferroviário de cargas na região. Segundo a Uepp, no comunicado que foi anunciado no “período curto” de uma semana de antecedência, a Rumo informou que o objetivo é apresentar o mapeamento da demanda por transporte ferroviário no…
O terceiro trimestre de 2018 fechou positivo para o setor portuário. De acordo com o Relatório da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP), entre julho e setembro os Terminais de Uso Privado (TUP) tiveram uma variação positiva de 5,7%, em relação ao mesmo período em 2017, quando movimentaram 196,4 milhões/toneladas, equivalente a 67% do total de cargas do país. Dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) registram, também, o aumento global (portos públicos e privados) de 3,9%, totalizando 295 milhões/toneladas. Em uma análise de impacto econômico, no terceiro trimestre, o país também alcançou um aumento de 11,4% da Corrente de Comércio (movimentações de exportações e importações), comparado aos meses de 2017, com um montante de US$ 63,4 bilhões. No acumulado entre janeiro e setembro, o superávit calculado é de US$ 41,8 bilhões, conforme aponta o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), sendo US$177,1 bilhões em exportações e…
Em um ano de intensos eventos para os setores de comércio, indústria, exportação e importação no Brasil, 2018 conseguiu reunir uma infindável gama de acontecimentos chave para qualquer economia. Eleições, greve dos caminhoneiros, operações federais, mudanças trabalhistas consolidando-se e as eventuais oscilações financeiras internacionais que afetam direta ou indiretamente o dia a dia de quem tem a armazenagem no DNA. Se este ano foi um teste, podemos considerar com um dos mais complexos a serem enfrentados, colocando à prova qualquer planejamento e visão de futuro. Como todo ano que se aproxima, 2019 promete ser de definições econômicas, mudanças de paradigmas e manutenção do que de fato funcionou. Longe de querer resumir 365 dias em uma palavra, escolher ‘aprendizado’ é sempre uma certeza. Utilizar das crises como um motor de impulsão para novos negócios, estudar ambientes e novas maneiras de administrar. O portal SAC Armazenagem deseja a todos um ótimo fim…
O Grupo TPC anunciou a conquista, neste mês de dezembro, do certificado de Operador Econômico Autorizado (OEA), concedido pela Receita Federal do Brasil, para o Centro Logístico e Industrial Aduaneiro (Clia) TPC, localizado no município de Simões Filho (BA). Com a novidade, o empreendimento do operador logístico tornou-se o único terminal alfandegado do estado da Bahia a contar com a certificação OEA. O Programa OEA foi lançado pela Receita Federal do Brasil em 2014 e a certificação é concedida para operadores da cadeia logística internacional que atendem a padrões específicos de segurança, conformidade e confiabilidade estabelecidos pelo programa, colocando o Brasil na categoria de país exportador seguro. O programa está implementado em 77 países e 47 mil empresas no mundo são certificadas. ‘Qualidade sempre foi um pilar essencial nos nossos serviços. Por isso, a certificação OEA nos orgulha muito, porque mostra que estamos no caminho certo, atuando em conformidade no…
Terça, 18 Dezembro 2018 09:08

Armazenagem durante a importação

Por
Para as empresas que operam no comércio exterior, ter previsão dos prováveis custos de armazenagem é tarefa árdua. Isso porque toda mercadoria que passa pela alfândega está sujeita ao controle aduaneiro, que é exercido pela Secretaria da Receita Federal. Daí é que surgem os famosos canais de conferência aduaneira, classificados por cores: verde, amarelo, vermelho e cinza. Quando uma mercadoria submetida a controle aduaneiro passa pelo canal verde, o prosseguimento da operação não traz maiores delongas. O problema surge nos demais canais, quando a mercadoria permanece retida enquanto não concluído o controle aduaneiro. A partir daí a previsibilidade almejada pelo gestor desaparece, já que a Aduana pode concluir o controle aduaneiro em semanas ou meses. Não que a retenção da mercadoria para conferência seja ilegítima. Ao contrário. É exercida em prol da segurança pública, sanitária e também por interesses arrecadatórios. O custo referente ao controle aduaneiro, que é exercido em…
A Superintendência do Porto do Rio Grande, através do Setor de Estatística, concluiu o levantamento da movimentação de cargas entre janeiro e novembro de 2018. O complexo portuário obteve 6,3% de crescimento quando comparado ao mesmo período do ano passado e deve obter novo recorde histórico de movimentação ao final do ano. Até o momento, já foram movimentados mais de 39,9 milhões de toneladas de todos os tipos de cargas. “A Superintendência sempre trabalhou em parceria com os terminais privados para buscar o máximo de agilidade ao complexo portuário. O ano de 2018 foi bastante crítico em função da greve dos caminhoneiros, mas conseguimos dar a resposta que o segmento produtivo precisava”, avalia o diretor superintendente Janir Branco. Até o dia 30 de novembro, foram movimentadas 39.912.510 toneladas, sendo que a carga geral foi a que teve maior aumento. Foram 12,7% de ampliação quando comparado ao mesmo período de 2017.…
A Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vai solicitar urgência ao Supremo Tribunal Federal (STF) na análise da decisão do ministro Luiz Fux de manter as multas pelo descumprimento da tabela de preços mínimos de fretes. Segundo o chefe da assessoria jurídica da entidade, Rudy Ferraz, a decisão do ministro trouxe ainda mais insegurança jurídica para o agronegócio. “Não podemos passar o recesso de fim de ano com essa incerteza sobre um tema tão importante para o setor”. Ontem à noite, o ministro Fux recuou da sua própria decisão da semana passada, que suspendia a cobrança de multa por quem não respeitasse a tabela, após recurso da Advocacia-Geral da União (AGU). No pedido de reconsideração da AGU, a ministra Grace Mendonça alegou que o novo governo deverá retomar a negociação com os setores envolvidos no tabelamento. Ferraz diz que pedirá ao plenário do STF que avalie com…
Pagina 6 de 223