Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish
O Sepetiba Tecon, terminal portuário localizado em Itaguaí (RJ), embarcou em outubro os primeiros contêineres carregados com algodão em fardos para exportação. Essa foi a primeira vez que o estado do Rio de Janeiro é usado como corredor de exportação dessa commodity. Os fardos de algodão, produzidos na Bahia, seguiram para a Ásia, principal mercado consumidor desse produto, e o terminal foi o responsável pelos processos de ovação, desembaraço aduaneiro e por toda operação de embarque. A decisão de exportar um produto, com origem no Nordeste, por um terminal portuário localizado no Rio de Janeiro, se deu pela eficiente infraestrutura oferecida pelo Sepetiba Tecon e por sua localização estratégica. O terminal está instalado em um ponto de convergência das principais rodovias brasileiras, o que permite operações logísticas dinâmicas e econômicas. Além disso, possui o maior calado da costa leste da América do Sul, 15,40m, o que proporciona a atracação de…
O Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu nesta quarta-feira (31) a assinatura de novas prorrogações antecipadas de contratos de arrendamento de terminais portuários. A proposta para suspender os pedidos foi apresentada pelo ministro Walton Alencar no âmbito do processo que monitora os investimentos das empresas que tiveram os contratos prorrogados. Segundo o ministro do TCU, em 2017, as empresas portuárias que tiveram os contratos prorrogados investiram R$ 964 milhões, somente 38% do valor previsto (R$ 2,5 bilhões). Dos 13 contratos prorrogados, em seis as empresas não fizeram nenhum investimento. "Tal fato demonstra que os objetivos da prorrogação antecipada não foram atingidos, segundo tais planos, apresentados para justificar e legitimar as prorrogações antecipadas de contratos em vias de conclusão", afirmou o ministro. A prorrogação antecipada de contratos está prevista na Lei dos Portos, de 2013. Como contrapartida à prorrogação antecipada, a empresa que administra o terminal se compromete a antecipar…
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) terá quatro anos para colocar em prática a sua meta de melhorar a eficiência portuária e reduzir custos, além de atrair investimentos no setor. Para a iniciativa privada, esta é a oportunidade de tirar importantes obras do papel e garantir o desenvolvimento e uma maior atenção ao Porto de Santos. Por isso, entidades que representam empresas do segmento apostam em iniciar um diálogo com o grupo do próximo chefe do Executivo durante o período de transição, que já começa nesta terça-feira (30). No seu plano de governo, protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Bolsonaro falou sobre a necessidade de integração das malhas ferroviária e rodoviária, ligando as principais regiões do Brasil, assim como é feito em outros países. Em sua última visita a Santos, em fevereiro de 2016, Bolsonaro citou os gargalos ferroviários e a necessidade de ampliação da malha para o escoamento da…
A Multiterminais, que administra os terminais MultiRio (contêineres) e MultiCar (veículos) no Rio de Janeiro, projeta crescer perto de 20% em 2019. A empresa avalia que 2018 foi um ano de recuperação em função da dragagem do Porto do Rio, homologada no final do ano passado. A condição operacional passou de 12,6 metros para 13,5m de calado, em maré mínima, e de 13m para 14,3m, em maré máxima. Com o atual acesso aquaviário, o terminal está autorizado a receber navios com 336 metros de comprimento e 48m de boca, enquanto antes só operava navios com até 300m por 42m. O diretor-presidente da Multiterminais, Luiz Henrique Carneiro, explicou que, com o calado antigo, o terminal perdia competitividade em alguns serviços, principalmente do tráfego da Ásia. "Esperamos crescer perto de 20% em 2019", disse Carneiro. O executivo acrescentou que a empresa também espera em breve melhorias no acesso terrestre ao porto com…
A Alfândega do Porto de Santos ampliou a regra para o escaneamento de contêineres que são embarcados em cais público. Uma nova portaria publicada esta semana pela Receita Federal torna obrigatório o procedimento nas cargas que não passem por recinto alfandegado. A medida busca aperfeiçoar a norma de 2013, sobre a utilização de equipamento de inspeção, que deixou de fora os contêineres vazios. Combater, principalmente, o tráfico de drogas no Porto e a entrada de produtos ilícitos pelo cais santista é outro objetivo da medida. “Quando se pensou a norma anterior, se pensou apenas no recinto alfandegado, mas há, por exemplo, alguns casos, onde ele vem vazio direto de um depósito para o navio, sem passar por estes locais onde o escaneamento é obrigatório”, explica o chefe da Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho (Direp) da Alfândega de Santos, o auditor-fiscal Richard Fernando Amoedo Neubarth. Com isso,…
O governo brasileiro estima que 2018 terminará com as exportações em um patamar elevado e entre os resultados mais expressivos nos últimos 30 anos, desafiando a onda protecionista no mundo. Para a Secretaria de Comércio Exterior, um dos cenários mais provável é de que o resultado do ano esteja perto de US$ 240 bilhões, uma expansão de cerca de 10% em comparação a 2017. Exportação Balança comercial brasileira registrou superávit comercial de US$ 441 milhões na quarta semana de agosto Foto: WERTHER SANTANA / ESTADÃO Até hoje, o governo registrou taxas acima de US$ 240 bilhões em três anos. Isso ocorreu em 2013, 2012 e 2011, quando o recorde foi atingido com vendas de US$ 255 bilhões e no auge do boom dos preços agrícolas. No ano passado, as exportações tinham somado US$ 217 bilhões e a previsão é de que a expansão fique em cerca de 10% para 2018.…
Utilizar a tecnologia para que os caminhões que trazem cargas para o Porto de Santos não retornem vazios aos seus pontos de origem faz parte de um projeto que está em desenvolvimento pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a estatal que administra o complexo portuário. O plano da Autoridade Portuária é criar um mecanismo que garanta o encontro de quem precisa contratar um transporte de carga com o prestador deste serviço. É o Sistema de Apoio ao Frete de Retorno (Safre). Além de promover essa integração, com ele poderá ser possível baratear o custo do frete (uma das principais reivindicações das empresas do setor). Melhorar as condições de trabalho dos caminhoneiros, tornar o cais santista uma opção mais atrativa e ampliar a movimentação de cargas também estão entre os benefícios do sistema. A ideia é que, por meio de um site, os donos de cargas e do…
A Organização Marítima Internacional (IMO) se reúne em Londres para discutir medidas que viabilizem as metas de redução de emissões de carbono para o setor de transporte marítimo nas próximas décadas; propostas para reduzir a velocidade máxima de grandes embarcações e agilizar a operação nos portos devem ser debatidas Esta semana, a IMO se reúne em Londres para discutir estratégias de ação para tirar do papel as metas de redução de emissões de gases de efeito estufa do setor de transporte marítimo para as próximas décadas. Em abril passado, os países membros da organização definiram que as emissões associadas às atividades do setor deverão ser reduzidas em 40% até 2030 com relação aos níveis de 2008, sendo que em 2050 essa redução deverá atingir 70%. Dentre as medidas que devem ser discutidas pela IMO no encontro deste mês, está a definição de velocidades máximas obrigatórias de operação aos navios de…
Um terminal do Porto de Santos conseguiu na Justiça a possibilidade de não requisitar a mão de obra de conferentes avulsos para atuar nas atividades de registro de peso e volume das cargas. A decisão judicial foi favorável por conta da automação total das tarefas. O processo foi motivado por uma ação civil pública do Sindicato dos Conferentes de Carga, Descarga e Capatazia do Porto de Santos. Nela, a entidade exigia que o acordo coletivo firmado com a empresa Itamaraty Logística fosse mantido pelo Terminal 12 A. O documento exigia que a função fosse exercida exclusivamente por trabalhadores previamente qualificados e habilitados junto ao Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo). Os magistrados da 13ª turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região negaram o provimento. De acordo com voto do desembargador relator do processo, Roberto Barros da Silva, além da negociação coletiva se aplicar apenas à empresa que…
Pagina 5 de 220